Estudantes ressaltam a importância do Laboratório de Redação para a conquista de resultados positivos. Trabalho muito “importante para desenvolver a escrita e ampliar o repertório sociocultural”

Muita gente tem medo das provas de Redação, seja na escola, na seleção para uma vaga de trabalho ou avaliação do Exame Nacional do Ensino médio – Enem.  Não é exagero! Fernando Sabino (1923-2004), jornalista e escritor brasileiro, já dizia: “A escrita é uma tarefa árdua. É uma ciência que cobra criatividade, memória, mas se baseia principalmente na técnica”.

De fato, a produção de texto não é nada fácil, principalmente quando o desafio é conquistar um bom resultado nas provas do exame que avalia o desempenho dos estudantes do ensino médio – Enem. Acontece que não é só o medo, mas também o despreparo dos concurseiros, que tem dificultado a produção de uma boa expressão escrita.

Um bom texto nesse tipo de prova é sempre bem avaliado e faz a diferença no momento de selecionar os candidatos que desejam entrar em uma instituição de ensino superior, disputar uma vaga em universidade pública pelo Sisu, conseguir um financiamento do FIES ou concorrer a uma bolsa de estudos do ProUni.

Pensando em melhor preparar os alunos para enfrentar esse momento tão desafiador é que gestores e educadores da Escola Grande Fortaleza – EGF criaram um método que oferece aos alunos um acompanhamento personalizado. A metodologia consiste na criação de uma dinâmica de grupo com o estímulo a capacidade de raciocínio, a elaboração de um discurso bem articulado e a produção de textos.  Além disso, o Laboratório de Redação é um espaço privilegiado para a discussão dos grandes temas da atualidade, enriquecendo as informações e a capacidade de argumentar, requisitos fundamentais nas dissertações – modalidade de redação exigida na esmagadora maioria dos exames. Essas habilidades serão cobradas dos alunos nos espaços acadêmicos e profissionais, por isso tamanha preocupação da EGF com uma boa produção textual.

Thallyta Mota TeixeiraAna Beatriz Gomes SilvaBianca Morais de Oliveira

Thallyta Mota Teixeira – Ana Beatriz Gomes Silva – Bianca Morais de Oliveira

A aluna Thallyta Mota Teixeira diz que, apesar de o “tema ser sempre uma surpresa”, manteve-se tranquila durante a prova do último Enem (2019). “Trabalhei com as técnicas que a professora orientou em sala, fiz um esquema antes de começar a produção e fui ler os textos motivacionais para entender o que o tema queria”. Ela destaca ainda que a metodologia utilizada pela escola é muito importante para a conquista de um resultado positivo. “O laboratório foi essencial nessa conquista, é um projeto excelente da escola e que traz resultados incríveis. ”

Para Bianca Morais, as atividades no laboratório foram de grande importância para praticar “a escrita com mais frequência e ampliar o repertório sociocultural”. A estudante, que agora quer cursar Biblioteconomia, também disse ter ficado surpresa com o tema pois, segundo ela, esperava algo relacionado à saúde e educação. Na prova, que tinha como tema “Democratização do acesso ao cinema”, ela procurou se posicionar “de maneira imparcial, argumentando de acordo com o tema proposto e usando citações de Carlos Drummond de Andrade e Platão como base para o texto.

“Foi uma grande alegria, minha mãe ficou muito emocionada e orgulhosa e saiu contando pra todo mundo”, foi o que relatou a aluna Ana Beatriz, futura Bioquímica. Ela aponta a importância da metodologia utilizada no laboratório da EGF para aperfeiçoar as habilidades. “Nas aulas de história já havíamos debatido sobre a importância cultural que o cinema tem, e como o acesso a ele vem se tornando um desafio”. Diz ainda que o formato utilizado em sala de aula, com incentivo à leitura e escrita de redação toda semana são “fatores essenciais que preparam o aluno para enfrentar qualquer tema”.

Para a coordenadora Geral da EGF, Adriana Abreu, o resultado demonstra um trabalho amadurecido desde o primeiro ano letivo da escola. O objetivo do projeto é incentivar os alunos no desenvolvimento da leitura e produção de textos para a realização de avaliações externas.

Adriana Freitas de Abreu - Coordenadora Geral da Escola Grande Fortaleza - EGF
Adriana Freitas de Abreu – Coordenadora Geral da Escola Grande Fortaleza – EGF

“Ao longo do período em que estamos trabalhando com o Laboratório de Redação percebemos que os alunos se sentem mais seguros em suas produções textuais e mais entusiasmados em participar das avaliações externas como Enem, UECE e concursos. Como responsável pelo trabalho da instituição, me sinto muito feliz pelos resultados de 2018 e principalmente com os resultados de 2019”, conclui.

Resultados

No dia 17/01, sexta-feira, foram divulgadas as notas das provas do Enem. O resultados podem ser acessados no site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), na Página do Participante.

De acordo com o instituto, dos 3.9 milhões de participantes, 53 conseguiram nota máxima e 143 mil zeraram a redação. 40.600 mil casos fugiram do tema, 23.200 copiaram o texto motivador e 56.900 casos entregaram a prova em branco.

O chamado espelho da prova, com os detalhes da correção dos textos e as notas de cada estudante, será divulgado em março.